sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O que os lábios abrigam



O calor que te devoras
É o mesmo que ela sente
O suor em ti evidente
É mesmo que nela desliza
Em pensamentos já idealiza
O desejo que te afloras
Nela se define tão contente
Por teu corpo todo incandescente
Os lábios dela abrigam
O vermelho que teus olhos intrigam
Cabelo solto desleixado
Contrasta com teu corpo bem desenhado
Um pulso forte para desvendar
De uma mulher, os mistérios no olhar
Abaixei a vista, me tive desatento
Enquanto passava o insano vento
Fingindo ser outro qualquer
Porém levou este homem àquela mulher!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por interagir no blog.
Seja sempre bem-vindo e comente o quanto quiser!

"Pra fazer poesia
tem que ter inspiração,

Se forçar...
Nunca vai ficar boa" - Vinícius de Moraes.

"Enquanto Eu tiver perguntas e não haver respostas... Continuarei a escrever"

- Clarice Lispector.

Meu mundo infinito particular:

Eu, somente eu
Escrito por mim sozinho
Ninguém mais do que eu
Minha voz, sou eu sozinho

De fato é difícil conviver assim
Com tudo aquilo que eu quero de mim
De fato é pesado ter que aceitar
Toda a realidade que sinto no ar

Por isso a poesia não me abandonou
nunca Me deixou
Por isso a poesia não me abandonou
nunca me deixou - A Poesia e Eu #Catedral.


Música e poesia, uma combinação perfeita para que eu entre nesse meu mundo particular, onde a natureza faz rimas só pra mim, e eu vivo infinitas possibilidades.

Inscreva-se

FeedBurner FeedCount

NOTA

A maioria das imagens inseridas nas postagens deste blog são retiradas da internet, sem a menor intenção de adquirir os direitos autorais destas. Assim, se alguém sentir-se prejudicado ou incomodado com o uso de sua imagem, entre em contato* e a imagem receberá os devidos créditos ou será retirada deste blog, como o possuidor dos direitos desejar.

*Ver aba de contatos.