sábado, 30 de outubro de 2010

Sobre mim


Hoje a postagem é sobre mim.
Dia difícil? Não, apenas mais um dia... Mais um dia com coisas para fazer. Mais um dia para eu pensar... Mais um dia para eu viver.
Um dia para aprender. Um dia para agradecer. Para falar e escutar... Um dia para escolher se é melhor brigar ou conversar. Ter recordações faz parte, atender um pedido também.
Eu sei de tudo que estou falando, talvez você, que esteja lendo, não entenda o que eu quero expressar; mas eu não quero ser explícita porque é no subtendido que a gente pode se encontrar nas palavras...
Só quero que todos saibam que estou bem. Estou mais leve, como uma folha levada com o vento. Até sinto ele me tocar a face, sinto meus cabelos soltos no ar...
Hoje eu só quis falar de mim.
Só quis falar como me sinto.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Acabou sem fim.

Dois dias se passaram, e parece que com eles o amor também passou. A conversa acabou sem fim, mas veio o final... O final da história que tão rápida assim começou, tão rápida assim também acabou. Mas e agora, como contar a história que acabou sem fim? Onde eu encontro a continuação que parece ser tão imprevisível?
Os ouvintes não vão poder viajar nesse romance porque é cheio de obstáculos...
Os próprios personagens desse romance desistiram, mesmo que inconsciente, porque os obstáculos criaram um enorme vão entre eles.
Para dá certo, o verdadeiro amor precisa ter obstáculos???
A história acabou se fim. O que isso quer dizer? Será que algum dos ouvintes ficará tão inconformado que tentará criar uma nova página para ela?
Dois dias que se passam pode mudar muita coisa.
Não estou criando esperança, nem tentando escrever um novo capítulo para esse romance.
Mesmo incompleta, a história continua tocando corações. Muitos corações têm histórias como essa...
Os dias passam, mas não é sempre que levam consigo tudo o que foi vivido.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Dando adeus.

 Eu ia postar alguma coisa triste... porque eu não estava [talvez ainda não esteja] bem.


Mas vendo coisas... vendo ações e palavras que não fazem sentido,  percebi que talvez fosse inútil. Talvez eu não expressasse exatamente tudo como eu queria.


O meu tempo não foi perdido para mim porque me ensinou a ver as coisas com lentes de aumento... Não vou falar do que eu aprendi. Não quero falar disso para não ter lembranças que me machuquem... Não quero revivê-las, mesmo sabendo que muitas me deixaram alegre.
O tempo vai passar e, mais uma vez, eu sei que tudo vai mudar. Acabei de ouvir que "Só os idiotas não mudam de opinião", se isso é certo? Não sei, talvez!
Só sei que acabei de mudar de opinião, ou melhor, acho que já tinha essa opinião, mas ainda não estava tão explícita para mim.
Tudo aquilo que aconteceu hoje... Eu ainda chorei... Pensei que existisse verdade em tudo aquilo...
Os piores e muitos dos melhores momentos desses últimos meses passei com você. Mas parece que tudo não foi mais que um simples passa tempo, não para mim.
Bom para você que não vai sofrer, por mim. Ruim para mim que quis perder meu tempo com você.
Mas não vou ficar me lamentando... Temos que viver várias experiências para depois poder abrir a boca e falar: Eu já fui muito feliz...
Eu já amei muito alguém...
Eu já chorei por uma pessoa que não devia ter chorado
Eu já sonhei com você...
Eu já fiquei sem dormir pensando na gente
Eu sofri por não poder dizer o que queria...
Eu fiquei triste com aquele adeus...
E o mais importante: Eu aprendi que não tem regra para amar. Mesmo que já tenha amado antes, um outro amor será sempre diferente... Todas as experiências são importantes, mas talvez não possamos usá-las noutro acontecimentos...
Mas saber que aprendemos como devem ser feitas as coisas pode nos deixar mais calmos.

Na verdade tudo que eu queria te dizer é que você foi importante e ainda será. Mas as suas atitudes me fizeram mudar... Talvez as tentativas dessem certo se você ficasse perto de mim. Você não ficou  perto de mim. Que pena porque eu não quero mais... Tudo acabou da maneira mais difícil e mais inesperada. Eu não quis entender e não vou te agradecer, mas se esse foi o fim é por que tinha que ser assim. Doe, talvez mais ou só para mim, mas ao mesmo tempo me sinto bem porque tenho a sensação de liberdade. Dei adeus para esse sentimento (esse meu sentimento), mesmo ele se mostrando para mim verdadeiro e singelo...


Estou dando adeus para você também.

sábado, 16 de outubro de 2010

Ela queria ele

       Ele queria ela e outras; ela sofria, ele nem ligava; ela chorava, ele ria; ela falava, ele não ouvia; ele mentia, ela acreditava. Ela o esperava, ele não voltava. Ela queria coisa séria, ele só queria se divertir; ela demonstrava seus sentimentos, ele brincava com seus sentimentos; ela sorria pra ele, ele ria dela; ela acreditava em tudo que ele dizia, ele dizia o mesmo para αs outras; ela se iludia, ele alimentava a ilusão; ela espera por ele, ele já está em outra. ela ama, ele gosta; ela fazia tudo por ele, ele dizia não se contentar com tão pouco; ela achava que ia dar certo, ele tinha certeza que ia dar errado; ela queria pra sempre, ele só por um momento; ela se entregava, ele evitava; ela falava: eu te amo, ele apenas sorria; ela ficava por conteúdo, ele ficava por quantidade; ela procurava o príncipe, ele procurava a próxima; ela queria "O", ele queria "UMA"; ele descobriu que ela era A ÚNICA, ela descobriu que ele era só MAIS UM...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Testamento


Testamento - Manuel Bandeira
O que não tenho e desejo
É que melhor me enriquece.
Tive uns dinheiros — perdi-os...
Tive amores — esqueci-os.
Mas no maior desespero
Rezei: ganhei essa prece.
Vi terras da minha terra.
Por outras terras andei.
Mas o que ficou marcado
No meu olhar fatigado,
Foram terras que inventei.
Gosto muito de crianças:
Não tive um filho de meu.
Um filho!... Não foi de jeito...
Mas trago dentro do peito
Meu filho que não nasceu.
Criou-me, desde eu menino
Para arquiteto meu pai.
Foi-se-me um dia a saúde...
Fiz-me arquiteto? Não pude!
Sou poeta menor, perdoai!
Não faço versos de guerra
Não faço versos de guerra.
Não faço porque não sei.
Mas num torpedo-suicida

Darei de bom grado a vida

Na luta em que não lutei!

domingo, 10 de outubro de 2010

Não sei - Cora Coralina

Não sei... se a vida é curta...
ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.


E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
Mas que seja intensa,
verdadeira, pura...
Enquanto durar"

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Buscando um novo caminho.


Era uma nova viagem. Uma viagem despreocupada. Ela só estava tentando conhecer o mundo. Conhecer o outro lado do mundo. Fazia pouco tempo que ela começou a ver aquela paisagem pela aquela janela...
Ela já tinha visto uma paisagem parecida... E também tinha gostado da paisagem anterior. Mas um vendaval destruiu toda visão da paisagem antiga, destruiu também os sonhos que ela sonhava; então ela resolveu, depois de muito tempo, viajar de novo; e foi quando se viu vivenciando tudo no mundo novo...
No começo a nova viagem era só um passeio para se distrair, mas percebeu, depois de muito caminhar, que aquele tal passeio seria talvez uma viagem tão importante quanto a anterior e dessa vez mais duradoura, longa e ela não estava sentido medo...
            Ela não estava com medo de se perder... Não estava com medo não voltar... Ela simplesmente continuou caminhando naquela estrada que mostrava flores e pássaros... Não pensou em voltar para casa nem tão cedo. Ela só queria que a viagem desse a ela alegria, a coragem de continuar seguindo; e ela encontrava vestígios de forças para seguir, encontrava vestígios de força naquela mesma estrada, que tinha pássaros e flores...
Passou por lugares escuros que duraram horas, passou por lugares que deram medo. Mas via, por todas as partes, pétalas de rosas que a incentivavam a continuar...  Precisou passar por pedras no caminho.
Até que veio uma tempestade... Apareceu um grande vendaval e acabou por levar todas as pétalas de rosas... Todos os pássaros foram embora... Todas as flores foram destruídas. Chegou a um ponto que ela não conseguia mais. Não conseguia mais ver o brilho do sol, o cheiro das flores, nem ouvir o canto dos pássaros; tudo se tinha ido... As marcas da alegria que ela buscava e a coragem também já não eram mais sentidas.
Tudo foi embora... tudo mais uma vez desapareceu. Desapareceu com a tempestade, com o vendaval. Não vou dizer que mais uma vez ela parou de sonhar. Não vou dizer que ela parou para chorar. Mas ela chorou. Chorou por sentir a ausências da magia que a guiava.
Ela ainda não voltou para casa. Ela ainda está no meio da estrada. Está imaginando se ainda pode ouvir ali, um canto de um pássaro ou o cheiro exalante de uma flor ou uma pétalas caída de uma rosa. Talvez a magia daquela paisagem só tenha se escondido um pouco, ela não sabe... Ela vai voltar para casa pelo mesmo caminho... Só que agora no sentido contrário...

"Pra fazer poesia
tem que ter inspiração,

Se forçar...
Nunca vai ficar boa" - Vinícius de Moraes.

"Enquanto Eu tiver perguntas e não haver respostas... Continuarei a escrever"

- Clarice Lispector.

Meu mundo infinito particular:

Eu, somente eu
Escrito por mim sozinho
Ninguém mais do que eu
Minha voz, sou eu sozinho

De fato é difícil conviver assim
Com tudo aquilo que eu quero de mim
De fato é pesado ter que aceitar
Toda a realidade que sinto no ar

Por isso a poesia não me abandonou
nunca Me deixou
Por isso a poesia não me abandonou
nunca me deixou - A Poesia e Eu #Catedral.


Música e poesia, uma combinação perfeita para que eu entre nesse meu mundo particular, onde a natureza faz rimas só pra mim, e eu vivo infinitas possibilidades.

Inscreva-se

FeedBurner FeedCount

NOTA

A maioria das imagens inseridas nas postagens deste blog são retiradas da internet, sem a menor intenção de adquirir os direitos autorais destas. Assim, se alguém sentir-se prejudicado ou incomodado com o uso de sua imagem, entre em contato* e a imagem receberá os devidos créditos ou será retirada deste blog, como o possuidor dos direitos desejar.

*Ver aba de contatos.