terça-feira, 1 de abril de 2014

Carta ao vento




O vento pode ser um bom amigo, se você pedir a ele para não contar os segredos de seu coração. E eu pedi que ele só me ouvisse confessar o meu maior defeito... Dos momento em que mergulho num egoísmo profundo e me camuflo entre os galhos seco de um amor desiludido e mal resolvido.
Vai vento, leva minha confissão!
- Eu sou tão egoísta que não posso ficar feliz vendo você feliz com outra pessoa. Te desejar felicidades? Sim, eu desejo, mas se não for comigo, que seja bem longe de mim, para eu sofrer menos; para que eu só possa lembrar dos momentos bons que tivemos. Então me desculpe se, ao passar por você, a partir de hoje, a minha alma entristecer, é que o que eu mais temia veio a acontecer... Era ver você está feliz sem mim. Eu sou tão egoísta ao ponto de não querer mais te encontrar, para não chorar quando você for embora, levando a leveza que seu ser me envolve sem pedir nada em troca.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Que seja amor

Oie, gente!? =)

Hoje vou postar um texto meio diferente do que costumo fazer aqui. Antentem assisti o final da novela Amor à Vida (agora é aquele momento em que certas pessoas vão ignorar a pessoa da geógrafa blogueira aspirante à poeta por assistir novela, mas Fuck It!). Então, Let's go!
A novela teve várias cenas emocionantes, isso é fato, mas a última cena da Edith (Bárbara Paz), pra mim, foi muito legal. Gostei de ver essa coragem para enfrentar todos os convidados, o noivo Herbert (José Wilker) e desistir de um casamento que seria realizado apenas por interesse financeiro.
É óbvio que cenas assim não são tão comuns na vida real. Mas o fato dela ter si libertado de uma "obrigação" "imposta" (pela mãe), e ir viver sua felicidade ao lado de quem a ama, o copeiro Wagner (Felipe  Gato Titto) foi lindo! *--*
Foi exatamente essa parte que me inspirou a fazer esse post. Quando vi os dois felizes, sorrindo, correndo pelas avenidas de São Paulo... Ah, me fez querer escrever um bom texto...


Pra mim, essa cena deles correndo pela praça, ela vestida de noiva e ele sem camisa foi a mais linda. Foi a prova que as loucuras de amor são necessárias para se sentir bem.


Que seja amor

Esse sentir é fervoroso, é eufórico, é  agora. Nunca pra depois. Dá coragem, dá vontade, dá liberdade para querer está junto... seja aonde for! Seja como for, seja sempre juntos. Eu me vi neste momento... Quem nunca quis fazer uma loucura de amor? E que loucura não é escolher alguém pra ficar e com ela correr o mundo? E que loucura não é querer fugir de tudo e de todos? Ficar só os dois no mundo. Ou ver todo mundo só olhando os dois? Numa noite de estrelas, olhando o breu do céu que mostrava nitidamente os azuis, os amarelos e os laranjas das estrelas que de longe viam um par loucamente apaixonado, correndo em direção ao futuro, estampando na cara um amor amado que entrou corpos a dentro e abraçou os estes corações.
Que seja amor. O sentimento único que não se define completamente, nem se sente pela metade. O sentimento que te faz acordar sorrindo e te faz passar o dia inteiro sonhando. Que envolve os corpos e os futuros. Que trás com leveza, mas chega sem pedir licença. Que seja amor. O puro sentir do estar bem, quando se tem alguém. Que se viva o amor, que nos faz sorrir sem motivos, ficar bobos e melosos. Que se tenha sempre amor. Para poder reviver momentos desejados, com alguém do lado. Que inspire e te faça voltar aquele lugar...
Que seja sempre o amor, o escritor das histórias mais loucas e mais inesquecíveis que havemos de viver, para que sejam lembradas com sorrisos indiscutivelmente verdadeiros e felizes.


domingo, 26 de janeiro de 2014

Mochila nas costas e sorriso no rosto

Frase clichê: “Já teve vontade de deixar tudo para trás?” – pergunta, na verdade!
Já teve vontade de dá um tempo em tudo a sua volta e correr para um lugar que faça você esquecer a bagunça... a bola de neve que tá acontecendo na sua vida? Já quis fazer uma loucura para aliviar o peso que você carrega?


Hoje me tomei de uma coragem louca de desligar o celular, pegar a mochila e fugir... Fugir para um lugar singelo, onde a tranquilidade reine e o silêncio, a paz e os sentimentos bons transcendam...
Vamos fugir amanhã?!
A gente com as mochilas nas costas, numa tarde desse verão quente, em frente ao mar, sorrindo e com o coração acelerado por ter feito uma loucura dessas. Sentar sem se preocupar com o que deixamos para trás, só aproveitar o momento...
Sorri em frente a cama. Te ligar, te mandar uma mensagem agora, marcar tudo e amanhã botar o plano em ação. Desligar o celular e apenas sentir vocês e o momento e não ver o tempo passar e o entardecer; no fim, voltaríamos para casa tranquilos, com a alma lavada... cheia de paz, de liberdade, de bem-estar, de amor. Das nossas aventuras, do nosso próprio Eu interior, do nosso amor. Um do amor do outro.

"Pra fazer poesia
tem que ter inspiração,

Se forçar...
Nunca vai ficar boa" - Vinícius de Moraes.

"Enquanto Eu tiver perguntas e não haver respostas... Continuarei a escrever"

- Clarice Lispector.

Meu mundo infinito particular:

Eu, somente eu
Escrito por mim sozinho
Ninguém mais do que eu
Minha voz, sou eu sozinho

De fato é difícil conviver assim
Com tudo aquilo que eu quero de mim
De fato é pesado ter que aceitar
Toda a realidade que sinto no ar

Por isso a poesia não me abandonou
nunca Me deixou
Por isso a poesia não me abandonou
nunca me deixou - A Poesia e Eu #Catedral.


Música e poesia, uma combinação perfeita para que eu entre nesse meu mundo particular, onde a natureza faz rimas só pra mim, e eu vivo infinitas possibilidades.

Inscreva-se

FeedBurner FeedCount

NOTA

A maioria das imagens inseridas nas postagens deste blog são retiradas da internet, sem a menor intenção de adquirir os direitos autorais destas. Assim, se alguém sentir-se prejudicado ou incomodado com o uso de sua imagem, entre em contato* e a imagem receberá os devidos créditos ou será retirada deste blog, como o possuidor dos direitos desejar.

*Ver aba de contatos.