sábado, 24 de novembro de 2012

Minha própria liberdade


Eu fecho os olhos para enxergar mais longe e caminhar de vagar para recordar-me de cada lugar. Eu quero liberdade, quero sorrir...
Não! Para! Vou começar de novo. Não vou falar do que eu quero!
Vou falar do que eu tenho e não consigo expor, por isso mesmo vou falar. Quem sabe alguém que também tenha e não consiga, lendo esse segredo rasgado consiga explicar, porque está vendo de outra janela, da minha janela.
Eu fecho os olhos e vejo flores, vejo borboletas, vejo abraços, vejo cifras. Sinto a melodia, sinto o sol e sinto a chuva que escorre pelo rosto. O vento leva as folhas secas do outono... Engraçado, como posso ter todas as estações do ano juntas?!
Preciso de palavras novas...
Cadê o dicionário? Onde está o lápis? Preciso riscar algumas paredes e depois deitar no chão e dá vida aos meus próprios desenhos...
Se eu fechar os olhos, aquela música novamente vai me querer levar... e me fazer dançar no parque e girar nas ruas e cantar nos campos e sorrir no mar...
O que me sufoca? Cadê o dicionário? Oh, meu Deus! Tomara que ninguém nunca encontre isso! Vão me chamar de louca! Se bem que a loucura é boa! Quando se é louco por querer, quando não se tem medo das reações...
Só que eu preciso acordar... Mas antes quero comer jujubas, de todas as cores. É mais divertido! É, isso é loucura mesmo!
Mas eu prefiro minha própria liberdade, mesmo que seja louca!
O que é isso? Alguém batendo na porta? Preciso esconder você, diário! Boa noite!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por interagir no blog.
Seja sempre bem-vindo e comente o quanto quiser!

"Pra fazer poesia
tem que ter inspiração,

Se forçar...
Nunca vai ficar boa" - Vinícius de Moraes.

"Enquanto Eu tiver perguntas e não haver respostas... Continuarei a escrever"

- Clarice Lispector.

Meu mundo infinito particular:

Eu, somente eu
Escrito por mim sozinho
Ninguém mais do que eu
Minha voz, sou eu sozinho

De fato é difícil conviver assim
Com tudo aquilo que eu quero de mim
De fato é pesado ter que aceitar
Toda a realidade que sinto no ar

Por isso a poesia não me abandonou
nunca Me deixou
Por isso a poesia não me abandonou
nunca me deixou - A Poesia e Eu #Catedral.


Música e poesia, uma combinação perfeita para que eu entre nesse meu mundo particular, onde a natureza faz rimas só pra mim, e eu vivo infinitas possibilidades.

Inscreva-se

FeedBurner FeedCount

NOTA

A maioria das imagens inseridas nas postagens deste blog são retiradas da internet, sem a menor intenção de adquirir os direitos autorais destas. Assim, se alguém sentir-se prejudicado ou incomodado com o uso de sua imagem, entre em contato* e a imagem receberá os devidos créditos ou será retirada deste blog, como o possuidor dos direitos desejar.

*Ver aba de contatos.